quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Cosil Inova e Investe na Acessibilidade em seus Empreedimentos

Batizada de Planta Acessível, a iniciativa faz parte do programa de sustentabilidade da empresa e atende uma camada significativa da sociedade que apresenta necessidades especiais

A deficiência no Brasil atinge 14,5% da população brasileira, o que equivale a 24,5 milhões de pessoas com algum tipo de limitação. Os números são do Censo 2010, divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), e refletem a demanda por serviços e produtos que atendam esta parcela da sociedade. Pensando neste público, a Cosil Construções e Incorporações, presente em seis cidades de três Estados brasileiros, desenvolve um novo conceito – a Planta Acessível.

Quem pensa que um imóvel acessível é mais caro do que o tradicional, engana-se. Não há diferenciação no preço, pois todas as facilidades são contempladas já na elaboração do projeto, gerando um custo mínimo que não é repassado para o comprador do apartamento. “Uma futura reforma para adaptação do espaço significaria mais gastos. A cultura de sustentabilidade faz parte da Cosil. Procuramos nos antecipar aos desejos dos clientes, oferecendo cada vez mais conforto e qualidade às pessoas que irão habitar nossos empreendimentos”, explica Samara Meneses Silva, arquiteta e coordenadora do comitê de sustentabilidade da Cosil. .

Além de a acessibilidade conquistar cada vez mais espaço na arquitetura e no urbanismo, a Cosil decidiu apostar neste nicho depois de detectar em seus empreendimentos pedidos recorrentes de adaptações para atender moradores com necessidades especiais. Inicialmente, estas solicitações eram avaliadas caso a caso. Assim, a empresa passou a solicitar a sua equipe de criação opções de plantas acessíveis no início do desenvolvimento dos projetos.

Pioneira em iniciativas sustentáveis

Mais um diferencial da Cosil é o selo SustentaX para construtoras, chancela que representa os esforços e investimentos da empresa na questão ambiental. Ao gerir empreendimentos em total conformidade com os critérios e procedimentos estabelecidos pela consultoria SustentaX, a companhia incorporou ao seu cotidiano medidas mitigatórias de erosão, sedimentação e redutoras de consumo de água e energia.

As obras também passaram a minimizar os resíduos das construções, com gerenciamento da destinação destes materiais, além de estabelecer controle ambiental da fumaça gerada pelo tabaco e a priorização dos materiais de baixa toxidade. “Também passamos a estimular ainda mais o reuso de materiais, o aumento de conteúdo dos reciclados, o uso de produtos regionais, bem como de madeira legalizada”, diz Samara.

Inédito no segmento da construção civil, o departamento Cosil sob Medida desenvolveu o Kit Sustentável, reunindo o que há de mais moderno em materiais sustentáveis da indústria. Os clientes que optam pelo kit contribuem na preservação do meio ambiente, já que a iniciativa agrega porcelanatos ecológicos, madeiras certificadas e bacias sanitárias com sistema de controle de água, entre outros diferenciais.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Música

Ultimamente a música está bem presente em minha vida. Nunca fui de reparar em melodia, afinal não sei distinguir um dó de um ré. Mas daí tu perguntas: então como é que a a música está presente?


Bem, o fato de eu não saber as notas musicais e desafinar até batendo palmas em aniversário de criança, não sgnifica que eu não saiba ouvir e distinguir o que é uma boa música, o que são bons arranjos e o sentimento que as músicas transmitem. Quem nunca chorou ouvindo uma música romêntica da Whitney Houston? Bem, eu choro  ouvindo outras coisas, choro ouvindo as baladinhas de Shakira, mas não vou falar quais são as músicas senão todo mundo aqui vai rir de mim e a intenção não é essa.

O que eu queria realmente dizer é que eu gosto de boa música. E como a música tem estado presente em minha vida, por alguns motivos profissionais e muitos pessoais, é que eu quero compartilhar com vocês um desses momentos em que algumas pessoas que eu gosto muito se juntaram, no improviso mesmo, ao final de um almoço, e presentearam meus olhos e ouvidos com a interpretação de Olhos Coloridos de Sandra de Sá.

Ser feliz é tão fácil. A gente nem precisa de muito dinheiro. Basta momentos assim

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Portal de educação ambiental completa um ano

O portal Cultura Ambiental nas Escolas (http://www.culturaambientalnasescolas.com.br/), desenvolvido pela Tetra Pak, completa um ano e para comemorar o sucesso da ação lança um novo filme educativo, “Carbono e Metano”. As duas moléculas são os personagens principais de uma história que parece ficção, mas não é. De forma lúdica e instrutiva o filme apresenta ao público a temática da sustentabilidade, tendo como contexto a discussão sobre aquecimento global.

Agora, junto com o filme “Quixote Reciclado”, “Carbono e Metano” integra o conteúdo didático do projeto Cultura Ambiental nas Escolas. A ação iniciada em 1997 já beneficiou mais de 40 mil escolas e cerca de seis milhões de crianças. Com o lançamento do portal, em novembro de 2009, todo o conteúdo do projeto foi adequado e disponibilizado na internet promovendo o acesso de muitas outras instituições a este conteúdo. “Além de modernizar o material, o novo website abriu um canal de comunicação dinâmico entre a empresa, professores e acesso para os alunos”, comenta Fernando von Zuben, Diretor Executivo de Meio Ambiente da Tetra Pak.

Neste primeiro ano, o portal Cultura Ambiental nas Escolas contou com mais de 40 mil visitas e 160 mil páginas acessadas, totalizando cerca de 2.400 horas de conteúdos divulgados aos visitantes.

A Tetra Pak também realiza periodicamente Oficinas Pedagógicas presenciais relacionadas ao projeto, que mostram como os materiais podem ser usados em sala de aula, com sugestões de atividades e troca de informações entre os professores.

Sobre a Tetra Pak

A Tetra Pak é líder mundial em soluções para processamento e envase de alimentos. Trabalhando próximo aos fornecedores e clientes, fornece produtos seguros, inovadores e ambientalmente corretos que a cada dia atendem às necessidades de centenas de milhões de pessoas em mais de 170 países ao redor do mundo. Com aproximadamente 22.000 funcionários baseados em mais de 85 países, acreditamos na gestão responsável e abordagem sustentável do negócio. O nosso slogan “PROTEGE O QUE É BOM” reflete nossa visão de tornar o alimento seguro e disponível, em qualquer lugar. Mais informações sobre a Tetra Pak estão disponíveis no www.tetrapak.com.br.

domingo, 21 de novembro de 2010

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Fazenda Esperança, dependentes químicos e comentários

Bem, há muito tempo escrevi um post falando sobre a Fazenda Esperança e a recuperação de dependentes químicos, desde então, olhei os comentários das postagens durante um tempo e depois deixei pra lá. Hoje, por acaso, abri a seção comentários e fiquei admirada de ver o quanto repercutiu essa pequena nota. Foi meu primeiro texto publicado em um site, o Inclusão Social, logo quando resolvi fazer jornalismo.

Fiquei surpresa e, ao mesmo tempo, muito satisfeita. Percebi que somente em algumas linhas consegui fazer o que deve ser o princípio básico da profissão que é informar, mas informar coisas de interesse público. Mas voltando aos comentários, algumas pessoas deixaram e-mail e a estes eu respondi pessoalmente, mesmo com o atraso de um ano!!! Sinceramente espero que essas pessoas não tenham mais problemas com os familiares usuários de substâncias químicas, mas caso ainda tenham, espero que minha resposta ajude de alguma maneira.

Aproveito para responder uma das questões mais frequentes, que era o valor da mensalidade.  Bem, pessoal, na cidade de Gararu (SE), local que eu visitei, não era precisamente uma mensalidade, mas uma ajuda de custo. Assim que a pessoa entra na clínica, eles pedem o valor de três salários mínimos e, mensalmente,
o valor de um salário mínimo é adquirido pela família do interno em produtos produzidos pelo usuário durante o tempo de internamento. Na verdade é uma forma de promover a manutenção do local.

Com esse post agora, me desculpando pela demora e, tentando responder à principal dúvida espero ter me redimido. Aproveito e deixo aqui meu e-mail de contato: elainemesoli@hotmail.com. Estou à disposição para qualquer informação.

Poesia

Contou que caminhava pela praia, nu, correndo.

A areia, o sol, o mar
e a profundidade extenuante do céu embriagavam-no.
Tinha extrema consciência da sua nudez,
e isso também o embriagava.


Ia com um projecto, ou uma missão, estava carregado disso,
mas tratava-se de uma coisa inominável.
Na praia havia gente, gente — parece
— com aquela disponibilidade sem expectativa de gente na praia.

Estavam em fato de banho, ociosos e alheios,
e quando ele passou pelo meio dessa gente,
a nudez que tinha ainda o embriagou mais.
Depois encontrou três degraus de pedra, e subiu-os.
Continuou a correr, mas — segundo contou — o céu,
a água e a areia, agora perdidos, haviam deixado nele um espaço vazio
onde a ideia de missão se pôs a crescer,
de modo que ele se encontrava como que louco da pressa
e densidade da missão.
Corria por um labirinto de pedra negra, e nos corredores estreitos
havia casas baixas, também de pedra, sem telhado
e sem portas e janelas.


Eram cubos negros abertos em cima
e com buracos rectangulares a diversos níveis.
Correndo pelos labirintos, cheio da sua pressa
e com a espessa ansiedade daquela mensagem tão obscura,
viu de súbito que tinha dois longos pénis brancos,
delgados e longos como duas serpentes,
e que se contorciam e enroscavam um no outro.

Não sentiu medo, sequer espanto,
pois imaginava que isso também fazia parte da missão.
Mas quando avistou uma mulher
que vinha em sentido contrário ao dele,
procurou tapar com as mãos aqueles pénis-serpentes
nascidos da mesma sombria raiz, quando corria pelos labirintos.

As serpentes, no entanto,
escapavam-se por entre os dedos, desciam-lhe pelas pernas,
subiam pelo ventre até ao peito,
avançavam em todas as direcções, com as suas pequenas cabeças cruéis,
sagazes e esfaimadas.

Cheio de terror, parou em frente de uma daquelas casas.

Quando entrou — contou ele —
havia já perdido a sua força e leveza de mensageiro,
e apenas sentia medo.
A casa estava vazia como todas as outras e, como elas,
sem tecto e sem portas e janelas.
Naquele cubo negro e devassado,
onde adivinhava excrementos e restos podres de comida,
através de uma luz sinistra,
pensou que viera de longe,
percorrendo com a sua nudez os caminhos do dia
e estes labirintos tenebrosos,
apenas para se encontrar vazio, cercado pela podridão.

As duas serpentes brancas continuavam a fremir
entre as suas pernas abertas.

-

de Herberto Helder, em 'Apresentação do Rosto', ed. Ulisseia, 1968

*Poesia extraída do ProgCultSE, de André Teixeira

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Por que você precisa da natureza para viver?

O WWF-Brasil lançou hoje um concurso que convida a sociedade a refletir sobre a natureza. Quem responder à pergunta “Por que você precisa da natureza para viver?” com mais originalidade e de forma mais alinhada ao conteúdo disponibilizado no hotsite da campanha será premiado com uma viagem de seis dias para o bioma Amazônia, onde estão duas das dez áreas consideradas prioritárias para a criação de unidades de conservação. 

O concurso é uma ação do movimento “Cuidar da natureza é cuidar da vida”, lançada pelo WWF-Brasil em setembro para conscientizar sobre a importância da conservação da biodiversidade, e a qualidade de vida da sociedade. Quem tiver interesse em participar deve mandar sua resposta pelo site http://cuidardanatureza.wwf.org.br/ até o dia 30 de novembro.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Prêmio Renato Castelo Branco da ESPM recebe voto on line

A Escola superior de Propaganda e Marketing (ESPM) realiza no dia 21 de outubro,a cerimônia de entrega do 6º Prêmio Renato Castelo Branco de Responsabilidade Social na Propaganda. As cinco peças vencedoras concorrem ao Grand Prix, principal prêmio da noite eleito pelo júri.
 
Entre as novidades desta edição está o lançamento da categoria “Conscientização e Convocação”, com três campanhas vencedoras, onde será apresentada a peça principal que transmita a ideia de mudar a opinião do público em temas importantes da sociedade como doação de órgãos ou preservação da energia. Além da avaliação dos jurados, a ESPM também quer a participação do público externo na premiação com a inclusão da categoria “Voto Popular”, em que os internautas poderão escolher uma peça para receber o Prêmio “Voto Popular” entre as cinco vencedoras, por meio do hotsite http://premiorenatocastelobranco.espm.br.

A premiação, criada pela ESPM em 2005, destina-se às agências e empresas, que desenvolveram peças individuais ou campanhas voltadas à divulgação de produtos e/ou serviços que demonstrem preocupação com o bem-estar do consumidor e da sociedade, incentive a reflexão sobre a responsabilidade social na propaganda e estimule a sua prática disseminando-a para os futuros profissionais do mercado. 

Os alunos da ESPM Social avaliaram em um ano, cerca de 270 campanhas de cunho social e sustentabilidade, publicadas em jornais, revistas ou veiculadas em televisão. Posteriormente, uma comissão formada por membros da diretoria, graduação, entidades estudantis da Escola e renomados profissionais do mercado publicitário brasileiro selecionou as 30 peças finalistas, que serão premiadas na cerimônia com a divulgação oficial.

Neste ano, o júri observou algumas mudanças, entre as quais, uma maior participação de agências de médio porte. Os produtos e serviços oferecidos reuniram não apenas a mensagem de apontar a responsabilidade social com uma linguagem universal, como também, em algumas ações, o produto em questão apresentava a matéria-prima sustentável.

A cerimônia é aberta ao público e com entrada franca. Para mais informações, acesse www.espm.br ou pelo telefone (11) 5085-4600.

Nesta sexta edição, as campanhas vencedoras são:

Peças Vencedoras que concorrem ao Grand Prix e também no Voto Popular (http://premiorenatocastelobranco.espm.br)

  • Aproximando as pessoas, Banco Itaú – Agência: África
  • Brasil Conectado é Brasil Vivo, Vivo – Agência: DPZ
  • Seja, Revista Veja – Agência: AlmapBBDO
  • Trânsito+gentil, Porto Seguro - Agência: Caso Design
  • Vamos fazer juntos?, Bancos Real/Santander – Agência: Talent

Categoria Especial – Conscientização e convocação
  • Doe Órgãos, Adote – Agência: Giovanni DraftFCB
  • Hora do Planeta, WWF – Agência: Leo Burnett
  • Xixi no Banho, SOS Mata Atlântica – Agência: F/Nazca

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Brasil Game Show abre as inscrições para o concurso Gata Gamer

Para estimular ainda mais a participação do público feminino na Brasil Game Show 2010(BGS), será realizado pela primeira vez o concurso Gata Gamer. A competição promete reunir as beldades que curtem games. Ser bonita é apenas um detalhe, a candidata a musa precisa mostrar que realmente gosta de jogar videogames. "E no próximo ano ela poderá ser a musa do evento", avisa Marcelo Tavares, organizador da BGS. A eliminatória acontecerá no sábado 20/11 e a final no domingo 21/11. Serão escolhidas pelo público as três melhores participantes, com destaque para a vencedora que fatura um console PlayStation 3 oferecido pela Sony Brasil.

As inscrições para o concurso Gata Gamer devem ser feitas pelo site oficial do evento www.brasilgameshow.com.br . Para participar, é necessário adquirir o passaporte para os dois dias de Feira, os ingressos antecipados com 40% de desconto estão à venda por tempo limitado. Vale lembrar que este é o preço da meia-entrad a - válida para estudantes, usuários com cartão do Metrô Rio e também para todos que doarem 1 kg de alimento não perecível, que será revertido para a Casa Ronald McDonald, instituição que apoia e humaniza o tratamento de câncer infanto-juvenil.

Os participantes de fora do Rio de Janeiro, contam com diversas opções para transporte e hospedagem com descontos especiais para o evento. Destaque para as parcerias com a Gol Linhas Aéreas que fornece 17% de desconto para os visitantes da Brasil Game Show 2010 e também para as viações 1001, Cometa e Catarinense que realizam a ligação rodoviária para o Rio de Janeiro com condições diferenciadas para os participantes da BGS. Caravanas de Minas Gerais, São Paulo e Espírito Santo já estão confirmadas e são outra opção para os turistas. Vale lembrar que estes grupos possuem atendimento especial e acesso diferenciado ao evento com entrada 1 hora antes dos demais visitantes. A BGS ainda aj uda quem quer montar uma caravana divulgando os contatos do organizador no site da Feira. Além disso, a equipe da BGS envia flyers de divulgação da feira, banners e material eletrônico. Mais informações em www.brasilgameshow.com.br/caravana

Confira a lista com os pontos de venda no Rio de Janeiro:



CENTRO - Loja Acústica Perfeita
 - R da Carioca, 43
BARRA DA TIJUCA - Posto BR Parque das Rosas
 - Av das Américas, 3.757
BOTAFOGO - Two Mahana
 - R Mena Barreto, 107
COPACABANA - Modern Sound
 - R Barata Ribeiro, 502
LAGOA - Posto BR - Piraquê 
- Av Borges de Medeiros, s/n (Parque dos Patins)
NITERÓI - Posto Shell São Bento
 - Av Roberto da Silveira, 283 - Icaraí
TIJUCA - Posto BR Bougainville - 
Rua Uruguai, 46 (esquina c/Maxwell)

Para os visitantes de outros estados, é possível adquirir ingressos através do site www.ticketronic.com.br

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Consumo erótico. Um mercado em ascensão

Apresentando o perfil do consumidor de produtos eróticos na cidade de Aracaju, este trabalho venceu o Expocom Nordeste 2010 que aconteceu em Campina Grande, (PB) na categoria Pesquisa Mercadológica.

O próximo passo é apresentá-lo no Expocom Nacional, parte dos trabalhos do XXXIII Intercom Nacional, que acontecerá na cidade de Caxias do Sul (RS), onde concorrerá com trabalhos da mesma categoria das outras regiões brasileiras.

Os slides apresentam que o perfil do consumidor de material erótico em Aracaju segue a tendência nacional e que o público vem se modificando, se tornando mais exigente neste mercado que movimenta cerca de R$ 1 bilhão por ano. O trabalho passou por aspectos como os motivos que levam ao consumo em geral, pela história da sexualidade até chegar aos dias atuais de modernidade líquida, assim conceituados por Baumann.


quinta-feira, 13 de maio de 2010

Quatro utilidades para seu celular

Recebi este e-mail tem um tempinho já e sempre quis compartilhar porque é bastante legal. Quem é que nunca ficou com a bateria prestes a descarregar numa chamada importante? Ou nunca esqueceu a chave do carro dentro dele? Então, aí vão as dicas.

CONHEÇA AS QUATRO UTILIDADES QUE ESTÃO ESCONDIDAS EM SEU CELULAR.


04 coisas que você nunca soube sobre seu celular. Será útil manter essas informações com você. Existem algumas coisas que podem ser feitas em caso de emergência. Seu celular é uma ferramenta que pode salvar sua vida.
Veja o que ele pode fazer por você:

Emergência I

O número universal de emergência para celular é 112. Se você estiver fora da área de cobertura de sua operadora e tiver alguma emergência, disque 112 e o celular irá procurar conexão com qualquer operadora possível para enviar o número de emergência para você, e o mais interessante é que o número 112 pode ser digitado mesmo se o teclado estiver travado. Experimente!

Emergência II

Você já trancou seu carro com a chave dentro? Seu carro abre com controle remoto? Bom motivo para ter um celular. Se você trancar seu carro com a chave dentro e a chave reserva estiver em sua casa, ligue pelo seu celular, para o celular de alguém que esteja lá. Segure seu celular cerca de 30cm próximo a porta do seu carro e peça que a pessoa acione o controle da chave reserva, segurando o controle perto do celular dela. Isso irá destrancar seu carro, evitando de alguém ter que ir até onde você esteja, ou tendo que chamar socorro. Distância não é impedimento. Você pode estar a milhares de quilômetros de casa, e ainda assim terá seu carro destrancado.



Emergência III

Vamos imaginar que a bateria do seu celular esteja fraca. Para ativar, pressione as teclas: *3370# Seu celular irá acionar a reserva e você terá de volta 50% de sua bateria. Essa reserva será recarregada na próxima vez que você carregar a bateria.

Emergência IV

Para conhecer o número de série do seu celular, pressione os seguintes dígitos: *#06#
Um código de 15 dígitos aparecerá. Este número é único. Anote e guarde em algum lugar seguro. Se seu celular for roubado, ligue para sua operadora e dê esse código. Assim eles conseguirão bloquear seu celular e o ladrão não conseguirá usá-lo de forma alguma. Talvez você fique sem o seu celular, mas pelo menos saberá que ninguém mais poderá usá-lo. Se todos fizerem isso, não haverá mais roubos de celular

PS: Essas informações não são conhecidas, por isso passe para seus amigos e familiares.

quarta-feira, 31 de março de 2010

Pontos turísticos de Aracaju

 O feriado de Páscoa ficou ainda maior com o ponto facultativo desta quinta-feira (01) decretado hoje (31) pelo prefeito Edvaldo Nogueira. Muita gente vai aproveitar que o trajeto ficou mais fácil com a inauguração da ponte Jornalista Joel Silveira e viajar para a praia da Caueira. E quem estiver querendo um pouco mais de sossego pode aproveitar e ir aos outros pontos turísticos da capital.

A tranquilidade de Aracaju pode ser aproveitada e, não só os turistas como também os aracajuanos, podem (re)descobrir os encantos da capital brasileira da qualidade de vida. Um boa pedida é visitar o Mirante da 13 de julho, levar a petizada para conhecer a vida marítima no Oceanário ou comer um apetitoso caranguejo  na Orla de Atalaia.

Se não quiser fazer nada disso, então consulte a versão digital do mapa turístico de Aracaju e, com certeza, encontrará um lugar para ir durante o feriado. O que não pode é deixar de aproveitar o descanso.

O mapa turístico de Aracaju pode ser encontrado no Mirante da 13 de julho e no site www.mapas.aracaju.se.gov.br 

Nota feita para o Facebook da Prefeitura de Aracaju www.facebook.com/eaju.aracaju

terça-feira, 2 de março de 2010

Gitana

sem vontade de escrever, mas pela Shakira vim só postar um clipzinho dela. Me identifico com a letra e por ser fã.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Projeto Verão 2010

Pois é, pessoal um ano passou e eu novamente vim dizer o que mais me chamou a atenção na festa. Esse ano fiquei mais nos bastidores trabalhando e, por isso, não devo ter visto o que o público, que curtiu mesmo os shows, viu, mas vamos lá. Antes devo dizer que separei entre o que achei legal e o que não achei tão legal assim, ok?

Legal:
- Tranquilidade. Projeto Verão este ano teve menos ocorrências policiais e menos gente machucada ou      alcoolizada necessitando atendimento do Samu.
- Ecletismo. Vários ritmos misturados: samba, rock, blues, reggae, dor de cotovelo, eletrônica...
- A simpatia de Tony Garrido e Elza Soares ao atender a imprensa.
- Inclusão Social.Mais uma vez o Camarote da Acessibilidade. Ano passado o espaço foi menor e pouca gente procurou. Este ano foi mais divulgado e mais deficientes puderam aproveitar.
- Mais participação de bandas locais. A valorização da música sergipana foi o ponto alto da festa. Pude conhecer ritmos que eu nem sabia que era possível existir, como o sambaião do Naurêa e o etnotrônico da Sulanka.
- A distribuição de preservativos. Gente, é impressionante a quantidade de casais que transavam em algumas áreas mais escuras atrás da estrutura do evento. Só resta saber se a galera estava usando mesmo, né? Esperemos para ver se em novembro aumenta a natalidade.

Não tão legal:
- A produção de grandes bandas como Os Paralamas do Sucesso que escolhia quem podia entrar pra entrevistar os músicos e limitava a duas perguntas priorizando os veículos televisivos.
- O tornozelo torcido da `Garganta de Trovão´, Elza Soares, momentos antes do show, que impediu a diva do samba de sambar em cima do palco.
- Não ter Manu Chao outra vez. O show dele ano passado foi o melhor de todos.

Tentei achar mais coisas que não foram legais, mas não estou conseguindo. Se tiver, vai deixando aí nos comentários que eu digo se vi ou não. Até mais e, ano que vem, espero que o Projeto Verão seja muuuuuuuito melhor.

sábado, 23 de janeiro de 2010

O desafio de andar de ônibus em Aracaju

A Capital de Sergipe está em pleno crescimento. A população flutuante então, nem se fala! São centenas de milhares de pessoas que saem dos municípios circunvizinhos para trabalhar em Aracaju. A população que é de  mais de 500 mil pessoas deve chegar a quase 800 mil. E me digam vocês se 500 míseros ônibus conseguem dar conta desse povo todo?

Pegar ônibus em Aracaju todos os dias é uma coisa difícil de relatar. Só quem faz isso sabe do que estou falando. Tá certo que o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, prometeu (e cumpriu) entregar 100 novos ônibus. Isso significa que 20% da frota foi renovada. Mas devo dizer que só melhorou o estado dos ônibus. A superlotação permanece. Os que foram retirados eram tão velhos que deveriam estar expostos como peças de museu.


Bem, mas não foi para falar do sistema de transporte aracajuano que eu resolvi escrever esse textículo (sem trocadilhos, mentes poluídas!). Foi pra falar dos usuários desse bendito meio de locomoção e de seus condutores. Me incluam na primeira categoria.

Alguém aí já pegou ônibus em algum dos terminais de integração de Aracaju, São Cristóvão ou Socorro? Caso tenham pego saberão, com certeza, o que irei relatar nas próximas linhas.

Imaginem um rebanho de búfalos selvagens  presos no pasto. Imaginaram? Agora imaginem quando uma cancela é aberta e esse rebanho sai com todos os búfalos correndo como loucos desenfreados para passarem ao mesmo tempo pelo mesmo local. É, assim mesmo, sem pausa para respirar. É isso que acontece quando as portas traseiras destes ditos veículos de transporte coletivo se abrem. Quem está nos terminais não espera quem está dentro dos ônibus descer para, assim, conseguir subir e quem está descendo (logo atrás dos primeiros desavidados que intentam sair) sai empurrando. Eu mesmo já passei por alguns maus bocados com esse pessoal. Sempre fico atônita sem saber pra qual porta me dirijo. E o pior é que quem está empurrando para subir nem vai conseguir um lugarzinho para ir sentado apreciando a paisagem urbana.


Outra coisa peculiar é o modo de condução dos ônibus. Os motoristas, desconfio, devem fazer curso numa mesma escola para aprender como conduzir pessoas. Sim. Eles possuem um método singular de condução. Treinam passo a passo o que deve ser feito numa curva acentuada quando o veículo estiver cheio de gente. Essa é uma experiência que recomendo a todos! Semelhante a um esporte radical, é uma das maiores emoções que passarão em suas vidas!

Você está lá, em pé, segurando com as duas mãos numa das barras de ferro (os seguradores dos assentos já estão todos preenchidos por mãos que parecem sair de todos os cantos) e a curva se aproxima. Nessa hora você se tornará o mais exímio dançarino de pole dance, conseguirá dar uma volta inteira na barra e... irá sentar no colo de outro passageiro. Para isso não precisa treinar. Acontece invariavelmente. Eu já perdi a conta (e a vergonha) de quantas vezes aconteceu comigo. Agora, procuro sempre ficar perto de uma passageiro sentado que pelo menos valha a pena sentar no colo.

Bem, esses problemas, com certeza o prefeito nao conseguirá resolver. Educação no transporte coletivo não é coisa que se aprenda na escola. Vem do bom senso de cada um. Ele pode amenizar com atitude como esta, de renovar e aumentar a frota de veículos do transporte público. Quanto aos motoristas, estes devem passar por diversos cursos de capacitação oferecidos pelas empresas para que conscientizem e humanizem seus profissionais. Esse problema somente os empresários do transporte coletivo poderá resolver.

Quanto à difícil tarefa de subir e descer dos ônibus... Bem, a gente reza e torce para que nada aconteça e consiga chegar ao destino sem nenhum arranhão.

domingo, 3 de janeiro de 2010

Ida ao shopping

Resolvi dar uma voltinha no shopping. Não encontrei nada. Nem para comprar, nem para olhar. Sem ter o que fazer, fui à praça de alimentação. Aí sim, pude perceber algumas coisas interessantes.

Todo homem bonito levava um apetrecho (um chaveirinho - aparentemente sem nenhum Ford Fusion acompanhando - , uma pochete, às vezes era uma mala, dessas sem alça mesmo, porque pela cara já dava para sacar) do lado.

Também tinha muita mulher sozinha. Quer dizer, solteira. Estavam em bandos. Gente, eu tenho mais de 30 anos - não digo quanto mais nem sob tortura - e paquerar é bom, né? Se rolar, rolou. Depois cada um para o seu lado. Mas o que vi hoje no shopping me deu um desespero!

Mulheres visivelmente com mais de 30 anos, em bandos e quando viam um homem sozinho, todas olhavam ao mesmo tempo. Era perceptível o sinal enviado: "Procura-se um namorado desesperadamente!". Com aquelas caras não iriam encontrar nunca.

Eu estava sozinha também. Sozinha. Não em bando, nem buscando encontrar um namorado. Peguei um choppinho, alguma coisa pra beliscar enquanto bebia. Saquei a caneta e o papel da bolsa e escrevi esse pequeno texto com minhas impressões. Na mesa ao lado sentou um carinha. Deve ter uns 25 anos, é gatinho e está puxando papo.

As desesperadas em bando estão duas mesas atrás da minha se roendo de inveja. Agora deixa eu ir que o papo parece que vai render...