segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Projeto Verão 2010

Pois é, pessoal um ano passou e eu novamente vim dizer o que mais me chamou a atenção na festa. Esse ano fiquei mais nos bastidores trabalhando e, por isso, não devo ter visto o que o público, que curtiu mesmo os shows, viu, mas vamos lá. Antes devo dizer que separei entre o que achei legal e o que não achei tão legal assim, ok?

Legal:
- Tranquilidade. Projeto Verão este ano teve menos ocorrências policiais e menos gente machucada ou      alcoolizada necessitando atendimento do Samu.
- Ecletismo. Vários ritmos misturados: samba, rock, blues, reggae, dor de cotovelo, eletrônica...
- A simpatia de Tony Garrido e Elza Soares ao atender a imprensa.
- Inclusão Social.Mais uma vez o Camarote da Acessibilidade. Ano passado o espaço foi menor e pouca gente procurou. Este ano foi mais divulgado e mais deficientes puderam aproveitar.
- Mais participação de bandas locais. A valorização da música sergipana foi o ponto alto da festa. Pude conhecer ritmos que eu nem sabia que era possível existir, como o sambaião do Naurêa e o etnotrônico da Sulanka.
- A distribuição de preservativos. Gente, é impressionante a quantidade de casais que transavam em algumas áreas mais escuras atrás da estrutura do evento. Só resta saber se a galera estava usando mesmo, né? Esperemos para ver se em novembro aumenta a natalidade.

Não tão legal:
- A produção de grandes bandas como Os Paralamas do Sucesso que escolhia quem podia entrar pra entrevistar os músicos e limitava a duas perguntas priorizando os veículos televisivos.
- O tornozelo torcido da `Garganta de Trovão´, Elza Soares, momentos antes do show, que impediu a diva do samba de sambar em cima do palco.
- Não ter Manu Chao outra vez. O show dele ano passado foi o melhor de todos.

Tentei achar mais coisas que não foram legais, mas não estou conseguindo. Se tiver, vai deixando aí nos comentários que eu digo se vi ou não. Até mais e, ano que vem, espero que o Projeto Verão seja muuuuuuuito melhor.