domingo, 3 de janeiro de 2010

Ida ao shopping

Resolvi dar uma voltinha no shopping. Não encontrei nada. Nem para comprar, nem para olhar. Sem ter o que fazer, fui à praça de alimentação. Aí sim, pude perceber algumas coisas interessantes.

Todo homem bonito levava um apetrecho (um chaveirinho - aparentemente sem nenhum Ford Fusion acompanhando - , uma pochete, às vezes era uma mala, dessas sem alça mesmo, porque pela cara já dava para sacar) do lado.

Também tinha muita mulher sozinha. Quer dizer, solteira. Estavam em bandos. Gente, eu tenho mais de 30 anos - não digo quanto mais nem sob tortura - e paquerar é bom, né? Se rolar, rolou. Depois cada um para o seu lado. Mas o que vi hoje no shopping me deu um desespero!

Mulheres visivelmente com mais de 30 anos, em bandos e quando viam um homem sozinho, todas olhavam ao mesmo tempo. Era perceptível o sinal enviado: "Procura-se um namorado desesperadamente!". Com aquelas caras não iriam encontrar nunca.

Eu estava sozinha também. Sozinha. Não em bando, nem buscando encontrar um namorado. Peguei um choppinho, alguma coisa pra beliscar enquanto bebia. Saquei a caneta e o papel da bolsa e escrevi esse pequeno texto com minhas impressões. Na mesa ao lado sentou um carinha. Deve ter uns 25 anos, é gatinho e está puxando papo.

As desesperadas em bando estão duas mesas atrás da minha se roendo de inveja. Agora deixa eu ir que o papo parece que vai render...

Nenhum comentário: