segunda-feira, 31 de março de 2008

Meus pezinhos estão cheios de bolhas.
Andei muito. Tudo por causa daquele homem.
Corro atrás dele feito louca. Será que ele se dá conta? Às vezes acho que sim, outras acho que não. Invento mil maneiras de ficar perto dele. Sei que ele não faz isso por mal, que é ocupado mesmo e não pode ficar resolvendo as coisas que eu peço pra ele fazer. Nem quero que ele pare com suas obrigações.
Mas que ele poderia facilitar meu lado, poderia.
Êta homem difícil, gente!
E está me pondo louca. Sonho com ele quase todo dia, nem sei mais o que fazer. Dou a entender de todo jeito que tô a fim, mas ele nada. Escancarar de vez é que eu não vou. Pode estragar a relação que teremos ainda pelos próximos anos.
Chamei ele para sairmos esse fim de semana. A resposta foi sim. Que me ligaria no dia para acertarmos o local onde ele me pegaria, porém, esperei, esperei e nada...
Procurei um jeito de ficar perto ainda nos próximos seis meses, mas não rola. Mas, depois desses seis meses, tenho pelo menos um ano vendo-o no mínimo duas vezes por semana.
Claro que não quero que essa minha espera se estenda durante todo esse tempo. Mas se até o curso acabar não rolar nada, aí sim eu abro pra ele.
Aí, se eu levar uma não,não terei mais de vê-lo e nenhuma relação mais a ser protegida.
Tá parecendo uma novela isso né?
Hoje, enquanto conversávamos, eu disse que gostava de coisa difícil, mas ele está demais. Sempre que tenho de fazer alguma coisa que dependa dele, é como uma romaria de tanto que ando atrás. Bem, ninguém pode dizer que não sou perseverante.
Se dependesse apenas de perseverança penso que já teria conseguido. Meus pés, aqui, que o digam. Já passei até uma pomadinha nas bolhas. Espero que cicatrizem logo. Senão não terei como correr atrás dele tão cedo...
Se alguém tiver alguma sugestão, por favor, fique a vontade. Quem sabe com alguma ajuda eu não consiga...

sábado, 22 de março de 2008

Chocolate

Ele gosta de chocolate!!!
Isso me surpreendeu. Ultimamente ele vem me surpreendendo muito. Eu sempre o vi como um sujeito correto, formal e até mesmo sem nenhum atrativo além da inteligência e alguma beleza física.
Em nossa ultima conversa ele conseguiu me fazer rir e arregalar os olhos diante de uma lista de importância dos pequenos prazeres de sua vida. Ele colocou o sexo em segundo lugar e o chocolate em terceiro!
A surpresa que tal fato me causou é que o percebia meio que assexuado de tão tímido que parecia.
Nossa! uma pessoa que tem o sexo nessa colocação numa lista de importância deve ser muito interessante!
Depois ele veio me contar que surfava. Caramba, pensei que as pequenas surpresas não parariam por aí.
Quando nos falamos pela primeira vez de verdade (até então nossas conversas eram virtuais), sua voz não me impressionou - acho vozes roucas e suavemente grossas um tesão - até porque senti um ligeiro tremor que demonstrou insegurança, fato comprovado após sentir suas mãos geladas, mas o fato dele me surpreender seguidamente fez com que me desse vontade de levar o caso mais um pouco e ver onde chegaria o noso conhecimento mútuo.
A verdade é que nos encontraríamos novamentente. Pelo menos, foi o que eu pensei devido às cirscunstâncias do nosso encontro real.
"Ele gosta de chocolates", pensei.
E por isso comprei um tablete numa loja de conveniência.
Mas ele não apareceu.

Fora de alcance

Na verdade o que eu queria naquele momento era sentir o sabor daqueles lábios carnudos
Eu não consigo resistir a um homem com aquela cara de safado.E também não sei por que cargas d'água sempre me encanto com homens que nunca vão me dar bola!!!
Agora é ele.
Que não me concede mais do que um olhar quando a ocasião se faz necessária; e ouvir aquela voz meio rouca e viril algumas vezes por semana sem ser direcionada a mim é quase uma tortura
Ainda mais agora que descobri que quando o timbre está mais baixo é quase uma carícia em minha pele, não sei mais o que fazer.
Sutileza não é meu forte, não primo pelo recato e não sou conhecida por pudicícia. Pelo contrário. Entro naquela sala com meus melhores decotes. Sento quase em frente à ele e não tiro os olhos, prestando atenção a todos os pequenos detalhes dele.
De tudo o que ele fala somente compreendo sua voz. E quando indago sobre algo é apenas para sentir o contato de meus ouvidos com aquela música inebriante que é sua voz.
Mas me sinto impotente, até mesmo frustrada.
Será que ele percebe o meu interesse?
Não sou mais uma adolescente que se deslumbra com um homem bonito. Não!!!
Sou uma mulher com desejos. E ultimamente meus desejos saem de cara poro de meu corpo em direção a ele. Desejo por ele!!!!
Ele também não é um Adonis de beleza. Mas é charmoso. E o conjunto me apetece. E muito!!
Bem, querer, desejar, não é suficiente. Tem de haver reciprocidade. Por enquanto é só um desejo unilateral. Também não me exporei. Se ele perceber e der abertura, bem. Senão, o que poderei fazer a não ser admirá-lo mais e mais?...