quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Diálogo interrompido


Ele: - Eu estou perdendo credibilidade com você.
Ela: - Sim, está. Infelizmente só acredito em algo que você me fala que vai fazer quando realmente faz. E isso acontece muito pouco. Daí prefiro não acreditar, pois é pior e gera expectativa. Essa coisa de "existe possibilidade" não dá muito certo. Eu penso, logo quero fazer e me programo pra isso. Além do mais, toda essa instabilidade gera um grande desgaste emocional em mim que fico sem saber o que fazer, o que esperar. Pensa comigo: de manhã você diz que fez uma coisa, de noite me fala que não fez por motivo a ou b. Então eu passei a ouvir e deixar pra lá, porque sei que não vai mesmo acontecer. Sinto muito. - pensou ela, mas não teve como responder porque a ligação fora interrompida

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Da série Diálogos - Parte II

E ela pousou. Estava voando depois do amor. Quando sentiu o coração se acalmar e as pernas ficarem um pouco mais firmes, levantou. Não sei o que queria fazer, mas olhou pra cama e o viu ali. Estendido. Tão bonito que chegava a doer. Nus. Ela, em pé, o olhava e sorria.

Ele: - Você está linda!
Ela: - Linda? Assim, toda bagunçada? - indaga sem acreditar muito.
Ele: - Sim. E daí? Fui eu quem baguncei.

E ela sorriu mais ainda e saiu descendo as escadas rezando baixinho e pedindo que se fosse sonho, não queria acordar.