quinta-feira, 9 de junho de 2011

Daquilo que eu buscava e já não quero mais

Eu ando mudando meus valores. O que antes me era fácil está se tornando difícil. Sem falsos conservadorismos ou pudicicia, nunca fui adepta dos padrões impostos pela sociedade. Sempre fiz o que tive vontade, desde que não prejudicasse ninguém. Não que estes meus valores estejam mudando, mas EU estou mudando.
Não percebo mais em mim a ânsia contínua por novos sabores, novos gostos, novos corpos, novos prazeres. Claro que quero tê-los eventualmente, mas não com o afã que me consumia até os 30 anos. Talvez seja a maturidade que chegou e, do alto dos meus 35 anos, estou reparando mais nos meus anseios.
Já não quero mais a variedade, senão a constância do dia-a-dia. Agora o que quero é encontrar alguém e com ele ter a inconstância, descobrir e perceber as coisas de forma compartilhada, apreciando as pequenas descobertas. Já não me sinto satisfeita com a incerteza que sempre me incendiou e impulsionou. Agora o que quero é descobrir algo novo naquilo que eu já conheço, novos sabores na comida que sempre me apeteceu, novos gostos e prazeres no mesmo corpo já conhecido.

Agora o que quero é o desassossego intenso presente na calmaria.

Nenhum comentário: