quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Ausência


Tá frio aqui.
Da janela vejo a serração e as luzes do bairro ao longe.
Os grilos cantam. 
Tudo é tão calmo. 
Tão vazio.
Esse vazio me angustia.
Porque não é vácuo. 
É so um espaço a ser ocupado.

(Conversa na madrugada entre dois corações vazios. 
Um vazio da presença.
Outro vazio da ausência.)

05/09/2012

Nenhum comentário: