quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Brasil receberá encontro mundial contra corrupção

Conferência é promovida pela Transparência Internacional e será realizado pela CGU e ONGs Ethos e Amarribo Brasil – que já ajudou a cassar dois prefeitos e agora avalia mecanismos brasileiros de combate à corrupção para OEA e ONU

28/9/2011 – Com 12 anos de existência e uma folha de serviços prestados aos brasileiros que inclui muitas denúncias, dois prefeitos e alguns vereadores cassados e a criação de uma rede nacional que ensina municípios a combater a corrupção, a Amarribo Brasil agora parte para atuação internacional. A ONG foi escolhida pela Transparência Internacional (TI) como sua representante no Brasil, e uma das primeiras responsabilidades será a realização da XV Conferência Internacional Anticorrupção (IACC), que acontecerá em Brasília de 7 a 10 de novembro de 2012.

O evento, bienal, é promovido pela TI e será realizado em parceria pela Amarribo Brasil, Controladoria-Geral da União (CGU) e Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social. Para a Amarribo, a responsabilidade de receber o maior evento internacional de combate à corrupção representa um grande desafio, mas também uma ótima oportunidade de dar bons exemplos para o Brasil. De acordo com a entidade, os brasileiros estão cansados de tanta corrupção e impunidade, como mostraram os movimentos pelo país no início de setembro.

Relatório


Outra responsabilidade da Amarribo como representante nacional da TI foi a elaboração de um relatório avaliando o cumprimento do Brasil da Convenção Anticorrupção, assinado pelos países que integram a Organização dos Estados Americanos (OEA) em 1996. O relatório aponta toda a legislação brasileira de prevenção à corrupção, a eficiência de seus mecanismos de fiscalização e os gargalos dos sistemas legislativo e jurídico, destacando os pontos mais críticos que estimulam a proliferação da corrupção pelos poderes públicos.

Entre esses gargalos, o relatório destaca a lentidão do judiciário, as possibilidades inúmeras de recursos e apelações, o foro privilegiado e a legislação desatualizada como os principais fatores da corrupção e da impunidade no Brasil. “É preciso tornar o sistema penal mais ágil e mobilizar a população para que a guerra contra a corrupção comece a ser vencida”, afirma o vice-presidente do Conselho de Administração da Amarribo Brasil, Josmar Verillo. Um relatório com o mesmo objetivo, mas para a Organização das Nações Unidas (ONU), também está em fase final de desenvolvimento pela entidade.

Leia aqui o comunicado oficial da CGU sobre a XV Conferência Internacional Anticorrupção:


Para mais informações, visite o site da conferência no endereço: www.15iacc.org ou escreva para iacc@transparency.org.

Nenhum comentário: