sábado, 22 de janeiro de 2011

Até a hora do adeus


Fazer amor com ele é sempre um acontecimento. Cada vez fica melhor. As idéias surgem, os limites se ultrapassam. Os corpos, os suores os desejos se misturam. E a gente fica sem saber se um é o outro. As sensações vão surgindo e aumentando num crescendo infindo até que surge outra e mais outra e mais outra. O tato é aguçado, nossos sons se harmonizam, o gosto e o olfato se tornam escravos ao serviço do prazer. Tudo se completa, já não falta mais nada. Ele me basta. Até a hora do adeus.

3 comentários:

Carlos Augusto Lima disse...

Elaine, minha querida, que raio de foto é esta??? Beijos.

Elaine Mesoli disse...

kkkkkkkk é boa, né?

Carlos Augusto Lima disse...

100 comentários!