sábado, 10 de janeiro de 2009

UM MERCADO PARA JUNIORES




Um novo segmento de mercado vem crescendo em Sergipe. São as empresas juniores. Na Universidade Federal de Sergipe (UFS), existem várias e dentre elas se destacam a Softeam, de computação, a Coplag, de agronomia e a EJAUFS de administração. Os objetivos principais dessas empresas são aliar técnica à teoria e ajudar a inserir os alunos participantes no mercado de trabalho.

A empresa Junior é uma associação civil sem fins lucrativos, portanto, parte do terceiro setor. É formada apenas por alunos do ensino superior sob a coordenação de professores. A remuneração é feita principalmente através de cursos de capacitação dos participantes e reinvestida na própria empresa.

Histórico no Brasil

Existem mais de 600 Empresas Juniores no País, mapeadas em mais de 200 Instituições de Ensino Superior em todos os Estados Brasileiros e Distrito Federal. Em São Paulo, foram registradas 200 empresas juniores, 25% de todas catolagas em território nacional.

No ano de 2003, as Empresas Juniores Confederadas à Brasil Junior alcançaram um faturamento de R$ 4,5 milhões, ao passo que as Empresas Juniores Federadas à FEJESP obtiveram, só elas, um faturamento de R$ 1,3 milhões, aproximadamente, 30% de todo o faturamento nacional.

Mais de 50% das Empresas Juniores são nas áreas de humanas, com destaque para os cursos de Administração, Economia e Contabilidade. Quase 30%, são EJs da área de exatas, na qual destacam-se os cursos de engenharia. 10% das EJs são da área de biológicas e outros 10% são multidisciplinares. Em torno de 60% das Empresas Juniores são provenientes de IES públicas.

As Empresas Juniores tem idade média de 05 anos e é em São Paulo onde estão as Empresas Juniores mais antigas do MEJ brasileiro, as pioneiras. Quase 90% das EJ’s foram fundadas pela iniciativa dos próprios alunos da IES, enquanto 5% de iniciativa de professores ou diretores da IES. São estimados 2000 projetos de consultoria, principalmente para Micro e Pequenas Empresas, desenvolvidos a cada ano pelas Empresas Juniores. Cada Empresa Júnior envolve em média 25 universitários, levando à estimativa de quase 15.000 empresários juniores.

Um futuro promissor em Sergipe

Com dez anos de atuação no segmento e alta concorrência para entrar quando abrem vagas, os alunos passam por seleção e entrevistas para definição do perfil profissional do candidato. Elissandro Messias e Jesse Fernandes, da Softeam, estão satisfeitos e confirmam que a maior vantagem é o aprendizado prático com a coordenação e incentivo dos professores. “O foco é exatamente o conhecimento de como atuar no mercado de trabalho”, diz Jesse Freitas.

A forma de prestação dos serviços da empresa Junior é o mesmo de qualquer empresa que atua no mercado comercial, por meio de contrato e também processos de licitação. Aliás, outro motivo desse mercado estar em expansão é que, como não pagam impostos e não possuem fins lucrativos, os preços são bem mais baixos que o cobrado pelas empresas normais. A Associação Comercial e Empresarial do Estado de Sergipe (ACESE), não vê problema nenhum em ter os membros dessas empresas como concorrentes e pensam ser positiva essa concorrência. “Uma ótima maneira de inserção no comércio. E quando saírem da universidade teremos jovens empreendedores mais competentes no mercado”, diz o membro do conselho deliberativo dessa associação, Everton Teixeira.

A Coplag que atua na área de agronomia, tem em seu mix de serviços a criação e implantação de projetos de consultoria ou assessoria, palestras, seminários, cursos ou qualquer outra atividade do setor agropecuário e agro-industrial no Estado de Sergipe. Também pretende ampliar seu campo de atuação para os demais Estados da Federação e possui bastante destaque em processos de licitação. Entre seus parceiros estão a Embrapa e o Banco do Nordeste. O diretor de marketing da empresa, Tiê Prata, conta que os motivos do sucesso entre estas parcerias são a dedicação exclusiva dos sócios aos trabalhos e a qualidade dos serviços prestados. “Nossos parceiros sabem que terão um bom resultado final, porque nós, estudantes, queremos colocar em prática aquilo que estudamos. Por isso nos dedicaremos o máximo possível para que tudo saia bem.”

Atuando na área de administração, o serviço mais procurado pela EJAUFS é o de pesquisa em diversas áreas, mas também oferece serviços de consultoria à micro e pequenas empresas. Com o aprendizado prático garantido e conhecimento da área onde atuarão, os alunos que ingressam nas empresas juniores de sua área possuem um diferencial na hora da contratação. Quando saírem da universidade terão mais oportunidades para mostrar o aprimoramento e a proatividade pelo qual passaram no trabalho junior. É esperar para ver o que o futuro desses jovens lhes reserva.

Nenhum comentário: