quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Com vocês, meu doce Fúria.


Irrequieto, marginal, underground. Assim podemos definí-lo?
Não, eu não ouso me delimitar à palavras. Descrevê-lo é difícil.
Artista plástico, trabalha com o que estamos acostumados a descartar através de nosso lixo e que ele transforma em colagens totalmente abstratas, assim como sua personalidade. No entanto, no dia a dia, trabalha em um conhecido sebo da cidade. Lugar melhor para ele não poderia haver.
Os anos passam e ele permanece igual. Já perdi a conta do tempo que nos conhecemos (e prefiro não contar pra não denunciar em minha tola vaidade os anos já vividos) e ele sempre percebendo além do declarado.
Culto ao extremo, apesar de ser autodidata, ele sabe de cor quase todos os livros e autores que já leu. E me dá um baile quando começa a despejar em minha lânguida mente entorpecida toda a sua verborragia intelectual.
Autodidata intelectual? Sim, nunca frequentou uma universidade, porém é digno de uma cátedra em literatura e algumas outras áreas.
Ah, peraí! ainda não disse o nome dessa figura não é?
FÚRIA.
Pelo menos é assim como gosta de ser chamado. Personalidade conhecidíssima no submundo e no gran monde. Todos que o conhecem só tem coisas boas a falar. Por tudo isso e mais muita coisa que não dá pra colocar aqui, foi que o chamei pra fazer uma enorme colaboração neste humilde blog. Espero que gostem e sintam penetrar em suas mentes um pouco do que ele tem a dizer. Interajam, opinem, critiquem.
Quanto a mim, apenas me utilizarei dele. Nada tenho pra dar em troca a não ser reverenciá-lo.
Ahhh, que mente a minha! Já ia esquecendo de dizer. Ele tem um leve tartamudear (deve ser resquícios de timidez e introspecção) e uma voz sexy.
Terrivelmente sexy.
Com vocês, meu doce Furia.

Um comentário:

Rebeca Rocha disse...

nossa. Esse final foi caliente!
kkkkk :)
dou valor às pessoas que por si só aprendem e modificam. Queria ser assim, haha
muito bom! :* beijos!